A pequena Alimatá

Processo criativo na escrita e ilustração do livro. A ideia do texto surgiu após o retorno do Mali em 2015. Com muitas informações e novidades na cabeça cheguei também com um desafio. Se nas escolas em Bamako as crianças não têm acesso aos livros de literatura preciso contribuir. Assim registrei as principais características da cultura local e me inspirei nas visitas às aldeias para criar a pequena história. Ela deveria ser bem simples para facilitar a leitura e também a tradução para o francês, idioma do Mali. As ilustrações foram feitas por mim. Comecei com brincadeiras de papel e retalhos de tecido para compor o cenário. Como os tecidos chamam a atenção por contar a história do país achei oportuno usá-los nas cenas. O nome do livro foi outro desafio. Encontrar um nome de origem africana que tivesse uma pronuncia fácil em português. Olhando as fotos encontrei a foto da jovem professora com o crachá escrito “Alimatá”. Em três meses o livro foi escrito. Com o design gráfico do Pedro Cacique enviamos para a gráfica. Foi um projeto autônomo do qual muito me orgulho. Em 2017 levei para o Mali cem exemplares, traduzido em francês, pela amiga e professora Selma Guimarães. Foi uma ótima experiência para todos nós.